O novo jato comercial Embraer E190-E2 vai estrear em voos comerciais em 2018 (Embraer)

A Embraer entregou apenas um exemplar do novo E190-E2 no 2T19 (Embraer)

A Embraer informou nesta terça-feira (30) que entregou um total de 51 aeronaves no segundo trimestre de 2019, dos quais 26 foram jatos comerciais e 25 jatos executivos. Esse resultado é 5,9% superior ao registrado pela companhia no mesmo período no ano passado, quando despachou 48 aviões (28 jatos comerciais e 20 jatos executivos).

Já a carteira de pedidos firmes de aeronaves comerciais a entregar em 30 de junho totalizava US$ 16,9 bilhões, o que representa uma retração de 3% em relação ao segundo trimestre de 2018, quando o backlog da fabricante era de US$ 17,4 bilhões. A Embraer tem ao todo 369 pedidos por novos aviões.

Repetindo o resultado dos últimos anos, o modelo E175 mais uma vez foi o avião comercial da Embraer com mais unidades entregues. A fabricante entregou 22 unidades da aeronave no segundo trimestre. Na sequência aparece o E195, com duas entregas, e o E190 e o novo E190-E2, cada um com uma unidade entregue no segundo trimestre deste ano.

Entre os jatos executivos, o Phenom 300 segue como o “best-seller” da Embraer no segmento e somou 15 entregas no segundo trimestre. Em seguida aparecem os modelos Phenom 100 e Legacy 500, com quatro e três entregas, respectivamente. A fabricante ainda entregou uma unidade dos jatos Legacy 450 e Legacy 650 e o primeiro exemplar do novo Praetor 600.

Marcos da Embraer no segundo trimestre de 2019

No segundo trimestre, a Embraer recebeu o Certificado de Tipo para o E195-E2 por parte de três órgãos regulatórios: a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a Federal Aviation Administration (FAA) e a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (European Aviation Safety Agency – EASA). O primeiro cliente da aeronave será a companhia Azul, com a primeira entrega programada para setembro.

No início do 2T19, a Embraer assinou um pedido firme de 10 jatos E195-E2 com a Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria. O contrato inclui direitos de compra para mais 20 jatos E195-E2. Com todos os direitos de compra sendo exercidos, o contrato é avaliado em US$ 2,12 bilhões.

Durante a 53ª edição do Paris Air Show International, a Embraer fez vários anúncios de vendas, conforme abaixo. Todos os valores são baseados nos atuais preços de lista da fabricante.

A United Airlines assinou um contrato para até 39 jatos E175 que inclui 20 pedidos firmes e 19 opções. O pedido tem um valor de US$ 1,9 bilhão com todas as opções sendo exercidas. A companhia aérea Binter, da Espanha, confirmou os direitos de compra de dois jatos E195-E2 adicionais previstos no contrato original firmado em 2018. A encomenda dos dois novos E195-E2 é avaliada em US$ 141,8 milhões.

A KLM é o primeiro grande cliente do novo E195-E2 (Embraer)

A Embraer também anunciou a intenção de compra da KLM Cityhopper para até 35 jatos E195-E2, sendo 15 pedidos firmes com direitos de compra para outras 20 aeronaves do mesmo modelo. Essa intenção de compra, que ainda exige um Contrato de Compra, tem um valor de US$ 2,48 bilhões.

Durante o Paris Air Show, a Embraer anunciou a assinatura de um contrato com a japonesa Fuji Dream Airlines para um pedido firme de dois jatos E175. O pedido tem valor estimado de US$ 97,2 milhões e já estava incluído na carteira de pedidos (backlog) da Embraer do 1T19 como “cliente não divulgado”.

No segmento de Aviação Executiva, a Embraer recebeu o Certificado de Tipo para o novo Praetor 600, da categoria supermédio, de três órgãos regulatórios: a ANAC, a FAA e a EASA.

“Avião-radar”: o P600 AEW é projetado pela Embraer em parceria com o grupo IAI de Israel (Embraer)

Por fim, a Embraer Defesa & Segurança e a ELTA Systems Ltd (ELTA), subsidiária da Israel Aerospace Industries (IAI), assinaram no Paris Air Show um Acordo de Cooperação Estratégica para desenvolvimento do P600 AEW (Alerta Aéreo Antecipado). Nessa cooperação, a fabricante brasileira fornecerá a plataforma aérea, sistemas de solo, sistemas de comunicações e integração de aeronaves, enquanto a IAI-ELTA fornecerá o radar AEW, SIGINT (inteligência de sinais) e outros sistemas eletrônicos.

Veja mais: Air France deve anunciar pedidos pelo Airbus A220