além do Brasil, o Super Tucano também voa com as forças aéreas de outros 15 países (FAB)

Além do Brasil, o Super Tucano também voa com as forças aéreas de outros 12 países (FAB)

Uma comitiva militar da Ucrânia liderada pelo coronel general Serhii Drozdov, comandante da força aérea do país, esteve no Brasil na semana passada para avaliar o avião de ataque Super Tucano da Embraer, relatou o site Infodefensa. Ainda de acordo com a publicação, um piloto de provas da Ucrânia testou uma aeronave da Força Aérea Brasileira na Ala 5, em Campo Grande.

A mesma página também apontou que a comitiva se reuniu com executivos da Embraer Defesa & Segurança em São Paulo, onde foi discutida a oportunidade da força aérea da Ucrânia adquirir o Super Tucano.

Informações adicionais, como o número de aeronaves pretendidas pelos ucranianos, não foram divulgadas. Em contato com o Airway, a Embraer esclareceu que não comenta sobre possibilidades de negócios.

Antes disso, Drozdov junto do embaixador da Ucrânia no Brasil, Rostyslav Tronenko, e o adido de defesa ucraniano, o coronel Oleksandr Mykhailenko, se encontraram no final julho com o comandante da FAB, tenente-brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, em Brasília para uma visita institucional.

Nessas reuniões, militares ucranianos receberam orientações de como funciona o sistema de preparação de pilotos e a manutenção dos Super Tucano.

Em junho do ano passado, durante uma conferência de assuntos militares realizada em Londres, Simon Johns, vice-presidentes de vendas da Embraer Defesa & Segurança na Europa e Norte da África, revelou que a fabricante estava em busca de seu primeiro cliente europeu para o Super Tucano e sugeriu a Ucrânia como um dos candidatos.

Na época, o executivo da Embraer disse que a dificuldade da Ucrânia em conseguir crédito para comprar novos aviões e helicópteros militares poderia levar a força aérea do país a selecionar o Super Tucano, um avião de combate considerado acessível e com baixo custo operacional.

Além do Brasil, o avião de ataque e treinamento avançado da Embraer também está em serviço em outros 12 países, número que será ampliado nos próximos anos com a entrega de aparelhos para as forças aéreas da Nigéria e Filipinas. Caso a Ucrânia compre a aeronave, ela será primeira ex-república soviética a voar com o Super Tucano.

Veja mais: Sukhoi inicia produção em série do caça Su-57